pesquisa

 

 Editor de Conteúdo ‭[2]‬

 

O Instituto Butantan atua, com presença marcante, na área de desenvolvimento científico e tecnológico, tendo como principal objetivo gerar conhecimento e contribuir com áreas relacionadas à saúde pública brasileira. Os temas de pesquisa se concentram, principalmente, em vacinas, patógenos, soros, venenos e animais peçonhentos, abrangendo grandes áreas de conhecimento, como Imunologia, Toxinologia, Biotecnologia, Biologia Molecular, Farmacologia, Biologia Celular, Bioquímica, Microbiologia, Parasitologia, Biologia Animal, Genética, Fisiologia e outras.

Os 180 pesquisadores do Butantan publicaram mais de 1.200 artigos científicos nos últimos cinco anos, com ampla divulgação e impacto na comunidade científica nacional e internacional. Esses pesquisadores também formam diversos estudantes de pós-graduação, de aprimoramento e de iniciação científica nos diferentes programas e cursos existentes no Instituto. Os cursos de Pós-Graduação em Toxinologia e o de Biotecnologia (Interunidades USP/Instituto Butantan/IPT) ampliam as ações de intercâmbio e formação de pesquisadores qualificados. O fomento à pesquisa é proveniente de agências financiadoras como CNPq, Fapesp, Capes e Finep através de bolsas e projetos institucionais de grande porte, como o Centro de Toxinas, Resposta Imune e Sinalização Celular (CeTICS) e o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Toxinas (INCTTox), que gerenciam projetos e recursos, permitindo o desenvolvimento das atividades.

Os três principais grupos que atuam na área de desenvolvimento científico e tecnológico no Instituto Butantan são a Divisão de Desenvolvimento Científico (DDC), o Laboratório Especial de Toxinologia Aplicada (LETA) e o Centro de Biotecnologia, ligado diretamente à Divisão de Desenvolvimento Tecnológico e Produção (DDTP). Cada um desses grandes grupos – assim como os laboratórios que os compõem – pode ser mais bem conhecido pelos menus ao lado.

 

 Editor de Conteúdo ‭[1]‬

 
​​​