No Dia Mundial da Lavagem das Mãos, médico relembra o passo a passo da higienização adequada, que pode reduzir em 40% a chance de pegar doenças

Hoje (15), é celebrado O Dia Mundial da Lavagem das Mãos. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o simples ato de lavar as mãos reduz em até 40% o risco de contrair doenças como gripe, diarreia, infecção estomacal, conjuntivite e dor de garganta. É a rotina mais simples e eficaz na prevenção e controle da disseminação de microrganismos e deve ser realizada sempre após tossir, espirrar, mexer com dinheiro, usar o banheiro, limpar o nariz e cumprimentar pessoas.

Em todo o mundo, a data é marcada por ações promovidas para a conscientização de profissionais de saúde e da população em geral, sobre os cuidados básicos que todos devem ter com a higiene das mãos especialmente antes de ingerir alimentos e depois de usar o banheiro. Este procedimento é essencial para evitar doenças.

A lavagem das mãos precisa se tornar um hábito obrigatório para todo indivíduo e, assim como outros hábitos, deve ter início desde os primeiros anos de vida. Segundo o médico especializado em infectologia e dermatologia sanitária Bernardo Souza da Costa Gaia, que é gerente médico de produtos do Butantan, a lavagem correta das mãos é uma das medidas mais eficazes e básicas para a prevenção em saúde. “É uma ação que protege a própria pessoa que lava as mãos e também impede que algumas doenças sejam transmitidas. Ela interrompe o ciclo de transmissão de algumas doenças”, disse Bernardo.

Durante a lavagem, as bactérias são removidas por ação mecânica, ou seja, é necessário esfregar as mãos. O médico explica que não há necessidade de lavar as mãos o tempo inteiro, pois assim acabaríamos perdendo também bactérias que têm o papel de proteger as mãos de outros micro-organismos que causam doenças. 

“Lavar as mãos 24h por dia é prejudicial. É importante saber que nossa pele nunca será estéril. É normal e até saudável ter algumas bactérias, as que se formam na nossa microbiota permanente, elas acabam nos ajudando a ficar saudável. Elas ocupam um espaço e se a gente as remove, outras bactérias podem vir e ocupá-lo, especialmente as bactérias transitórias, aquelas que adquirimos quando apertamos a mão de alguém, por exemplo, e que às vezes, potencialmente, podem causar uma doença”, explicou.

Bernardo recomenda ainda a higienização feita com álcool em gel, quando não for possível lavar as mãos.  "Tanto o sabonete comum quanto o álcool em gel são eficazes para a limpeza das mãos e podem evitar a contaminação por doenças, entretanto, se houver sujidade aparente, é necessário lavar as mãos com água e sabão", ressaltou.

Confira o vídeo com o passo a passo da forma correta de lavar as mãos, clicando aqui

 

Mão Suja - Mão Limpa

Em comemoração ao Dia das Crianças, celebrado no último sábado (12), o Museu de Microbiologia realizou a atividade Mão Suja - Mão Limpa, em que um carrinho elétrico circulou pelo Parque do IB, levando ao público informações sobre a importância de lavar as mãos corretamente, sobre a necessidade de higiene diária e os micróbios presentes em nosso corpo.

 

 

 

 

 

 (por Fernanda Ribeiro)