Museu de Rua do Instituto Butantan ilustra trajetória da instituição ao longo de seus anos

28/01/2019

Criado em 1991, em celebração ao aniversário de 90 anos do Butantan, o Museu de Rua, que está instalado na principal alameda da instituição, mostra por meio de 42 painéis, com textos bilíngues e imagens, as atividades de pesquisa, produção, cultural, edifícios e personalidades atuantes do Instituto.

Fruto de um projeto desenvolvido pela Comissão encarregada de realizar os eventos comemorativos do aniversário naquele ano, em parceria com a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e o Escritório Julio Abe Wakahara, o Museu de Rua é um tipo de exposição ao ar livre, dirigido ao grande público. 

“A ideia era ter um museu acessível para todos, que não tivesse distinção de escolaridade e idade. Quem quisesse saber mais sobre o Butantan, bastava olhar o Museu de Rua”, explica Larissa Foronda, coordenadora do Museu Histórico do IB.

O conteúdo dos painéis foi produzidos pelos responsáveis de cada área, tendo uma parceria com a escola de idiomas Yázigi, que traduziu os textos para o inglês.

Segundo o pesquisador e idealizador do projeto Henrique Moisés Canter, na época diretor do Centro de Desenvolvimento Cultural, o Museu de Rua tem uma importância enorme ao Butantan, aproximando colaboradores e visitantes de áreas mais íntimas da instituição, como a produção. “Ele cumpre o papel de informar as áreas como produção ou alguma atividade de pesquisa. Informações que não estão diretamente nos outros museus, mas no Museu de Rua, sim”, diz Canter.

Novos painéis

Em 1999, o Museu de Rua ganhou dois novos painéis e teve sua estrutura reformada, visto que era necessário um material mais resistente a chuva e ao sol. 

Para o futuro, Canter menciona a possibilidade de modernização do Museu, “precisamos atualizar algumas informações, modernizá-lo, deixá-lo com menos tempo de leitura”, diz.

 

(por Fernanda Ribeiro)