Instituto Butantan cria Centro de Excelência em Pesquisa Básica Orientada (Centre of Excellence for Research in Target Disc
A Fapesp e a empresa farmacêutica Glaxo SmithKline Brasil (GSK) acabam de selecionar o projeto aplicado por pesquisadores do Instituto Butantan para a criação de novo Centro de Excelência em Pesquisa no Estado de São Paulo, que será voltado à descoberta e a validação de alvos terapêuticos que possibilitem a criação de novos fármacos para doenças de base inflamatória. A chamada pública teve início em 2014 e o resultado foi anunciado publicamente no final de novembro. A Fapesp irá investir R$ 12.731.369,84 e a GSK R$ 11.361.576,90.

O novo Centro será coordenado pela pesquisadora Ana Marisa Chudzinski-Tavassi, que terá a missão, junto com uma equipe de pesquisadores de vários laboratórios do Instituto, de identificar alvos moleculares e vias de sinalização envolvidos em doenças como a osteoartrite, a artrite reumatóide, a síndrome metabólica e doenças neurodegenerativas. Produtos naturais, como venenos e secreções animais, toxinas e peptídeos deverão ser usados na validação dos alvos terapêuticos, abrindo caminho para o desenvolvimento de novos fármacos.

A equipe envolve jovens pesquisadores e pesquisadores sêniores, além de estudantes de pós graduação, pós-docs e técnicos, que terão a oportunidade de compartilhar conhecimentos em um local dedicado a estes estudos.​

Pilares

Todo o trabalho será desenvolvido com base no tripé pesquisa, difusão e transferência de tecnologia.

As pesquisas serão direcionadas para a busca de alvos moleculares envolvidos em doenças de cunho inflamatório.

À difusão caberá democratizar o acesso à informação científica e tecnológica, principalmente aquela produzida pelo Centro, por meio de tecnologias digitais e de ferramentas de educação à distância, instigando o conhecimento pela população da função social da ciência e estimulando uma mudança na cultura tecnológica e de inovação. Fará parte deste pilar o MBA Gestão da Inovação em Saúde, que já acontece no Instituto Butantan há cerca de 3 anos.

No pilar transferência de tecnologia estarão alocados todos os acordos e contratos que poderão surgir no desenrolar do projeto, que seguirão as diretrizes institucionais estabelecidas.

Para o Instituto Butantan, a parceria se reflete como muito positiva, uma vez que agregará competências institucionais em um foco específico, promoverá o intercâmbio de experiências e aprofundará estudos moleculares com vistas ao desenvolvimento de novos produtos para a área da saúde. O trabalho – que será realizado com pesquisadores da indústria farmacêutica – ampliará os conhecimentos, gerando impactos sociais e econômicos significativos e concretizando o compromisso maior dos envolvidos: transformar conhecimento em ciência aplicada, transformar descobertas em aplicações úteis à sociedade.

O projeto agrega a nova cultura da Instituição, onde temas centrais passam a ser predominantes e ultrapassam as fronteiras dos laboratórios individualizados, possibilitando o avanço nas pesquisas básicas para oferecer novas possibilidades de prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças.​​