Colaboradores do Butantan contam suas experiências com a paternidade

Desde de 1953, todo segundo domingo do mês de agosto se celebra o Dia dos Pais no Brasil. Neste ano, a data será comemorada no dia próximo dia 11 e, para homenagear a classe, conversamos com dois colaboradores da instituição que compartilharam as suas experiências com a paternidade.

 

Daniel, o pai de primeira viagem

Daniel Rodrigues da Silva (33) é colaborador do setor de Processamento de Plasmas Hiperimunes (PPH) na produção de soros contra animais peçonhentos. O profissional com mais de 10 anos na instituição é “recém-papai” de sua primeira filha, a pequena Nicole, de 10 meses. 

Daniel concilia sua rotina entre o trabalho, a faculdade de farmácia e a paternidade com bom humor e ressaltou as principais mudanças que teve após o nascimento de sua filha. “Meu temperamento mudou demais. Com a chegada da Nick, passei a ser menos impulsivo. Agora sempre penso que há um ser pequenino que depende de mim”, disse.

Daniel, que é casado há cinco anos, disse também que o nascimento de sua filha foi algo único em sua vida e que nada se compara a este sentimento. “No momento do parto senti um misto de alegria, apreensão e tensão para que todos estivessem bem. Acho que essa é a única hora que alguém fica feliz em ver uma pessoa chorando. Só quem é pai ou mãe poderá entender. Foi o melhor momento de minha vida”, contou.

 

Bruno, o pai de uma criança com autismo

O analista de qualidade II, do Controle de Qualidade Físico-químico do Instituto Butantan Bruno Gonçalves Lima (35) atua no Butantan há 16 anos.

O profissional é casado com Silvia há 18 anos e pai de duas crianças: Vinicius (5) e Luiza (1).

Bruno teve uma surpresa com seu primogênito, que recebeu o diagnostico de um tipo moderado de autismo. Vinicius sempre foi muito introspectivo e só começou a falar aos dois anos. “No começo eu achava que era algo relacionado à timidez. Nós pais nunca pensamos que nossos filhos possam ter algum tipo de distúrbio. Até que fomos a um especialista e ele foi diagnosticado”, contou.

Só após muitas consultas, o pequeno Vinicius enfim começou a se desenvolver mais rapidamente e a se comunicar com palavras e frases curtas.

Nenhuma adversidade, no entanto, interfere no orgulho e na dedicação de Bruno com a família. "Cada dia é um novo aprendizado com meus pequenos. Ser pai é estar lá todos os dias, independente da dificuldade que se tenha. Só ver o sorriso deles após um longo dia de trabalho, é com certeza a maior recompensa que tenho”, afirmou.

 

O que é autismo?

O autismo é um transtorno de desenvolvimento que compromete as habilidades de comunicação e interação social das crianças. Geralmente os sintomas aparecem até os três anos de existência. Estudos mostram que as causas do autismo são múltiplas e podem ter fatores genéticos e biológicos como desencadeadores.

Segundo dados do Center of Disease Control and Prevention (CDC), órgão competente dos Estados Unidos que realizou o levantamento, o Brasil possui cerca de 2 milhões de pessoas com algum grau de autismo.

 

(Por Elias Antar)