Aparecimento de saguis no parque deve aumentar com a chegada do Outono

Com a chegada do Outono na última quarta (20), o Parque do Instituto Butantan deve passar a contar com uma nova atração para seus visitantes: o aparecimento de saguis que vivem livremente na área. É que devido ao período com a seca das árvores, estes pequenos primatas tendo que se deslocar mais em busca de comida. 

Segundo Erika Hingst-Zaher, que coordena o Observatório de Aves do Instituto, os saguis acabam se aventurando mais pelo parque nesta época do ano e acabam chamando a atenção dos visitantes e dos colaboradores. Os saguis são animais de hábitos diurnos, de pequeno porte, com peso variando entre 350 a 450 gramas e que se alimentam de insetos, moluscos, filhotes de aves, pequenos lagartos, ovos, sementes, frutas e flores. Eles dificilmente descem ao solo para evitarem de se tornar presas fáceis, preferindo viver nos galhos intermediários e nas copas das árvores. 

Segundo ela, durante este período acontecem muitas alterações no mundo animal. “No outono é comum aparecerem menos aves, por exemplo, as que vieram para cá com o intuito de se reproduzir, nesta época vão embora. Com o fim da reprodução, escuta-se menos o canto dos sabiás” explica a pesquisadora. Espécies como abelhas e borboletas também passam a ser vistas com menos frequência. 

Refúgio da Poluição

Na opinião da pesquisadora, outro bom motivo para visitar o Butantan nesta época do ano é que o parque acaba sendo um refúgio da poluição de São Paulo, que sempre fica mais concentrada nas estações mais secas do ano. O parque do Butantan é uma área de 80 hectares de verde e a presença da floresta, por si só, já ameniza os efeitos das mudanças climáticas para quem o visita. O tempo seco e a grande concentração de gases poluentes costumam causar o ressecamento da pele e algumas complicações respiratórias, por exemplo.  

A especialista lembra ainda que, como fica entre o Verão e o Inverno, o Outono é caracterizado sempre pela queda das folhas das árvores e indica a passagem das estações e a redução gradativa na temperatura. Outra característica são as noites mais longas que os dias, o aumento da incidência de ventos, o maior índice de nevoeiros pela manhã e a diminuição da umidade do ar. 

[por Elias Antar]